27 de fevereiro de 2017

Resenha | Revista Trasgo - Edição 4

Título: Revista Trasgo – Edição 4
Autores: Ademir Pascale, Érica Bombardi, Fred Oliveira, Gerson Lodi-Ribeiro, Jessica Borges, Mary C. Müller, Rodrigo van Kampen (organizador), Edmar Nunes de Almeida (ilustrador)
Ano de publicação: 2014
Editora: Independente
Número de páginas: 100
Sinopse (Skoob): A quarta edição da Trasgo de Ficção Científica e Fantasia traz contos de autores conhecidos e estreantes. Esta edição abre com “Rendição do Serviço de Guarda”, uma noveleta do veterano da FC brasileira Gerson Lodi-Ribeiro, na qual os humanos são a principal esperança em uma guerra que já dura milênios. Também publica um conto de Érica Bombardi, “Vivo. Morto. X”, um conto sobre escolhas e influências, com um toque gótico e contemporâneo. “Isaac”, de Ademir Pascale, traz um cenário pós-apocalíptico onde humanos se tornaram piores que animais. Em seguida, um delicioso conto de Mary C. Muller, “Estive assombrando seus sonhos”, sobre um jovem medium em treinamento. Em “Arca dos Sonhos”, de Fred Oliveira, o leitor se coloca na mente do capitão de uma grande nave vagando por milênios rumo ao desconhecido. Para fechar esta edição, um texto leve de Jessica Borges, “No Labirinto”, influenciado pelo filme homônimo com David Bowie, sob uma abordagem única e singela.

A quarta edição da Trasgo traz 6 contos de fantasia e ficção científica. Infelizmente, acabei não gostando muito de alguns deles, e só bastante apenas de dois. Como sempre, avaliei cada um deles separadamente:

Rendição do serviço de guarda (Gerson Lodi-Ribeiro)

O conto traz alguns temas interessantes, como a dominação do espaço, a interação de diferentes espécies do sistema solar e a imortalidade. São temas interessantes e que dão margem a enredos bem interessantes. No entanto, este conto não me agradou, e o principal motivo foi a narrativa.

Grande parte do conto se destina a explicar (em forma de relatos) como estourou a chamada Guerra Natural, que acontece há milênios e envolve sete espécies Carnívoras (como são chamadas) contra as demais espécies humanóides que habitam o sistema solar. Há ainda uma parte dedicada ao background de um personagem, que afinal não se mostrou tão importante. Assim, durante a maior parte do conto eu me senti como se estivesse lendo um livro de fatos históricos. E, mesmo nos momentos em que o enredo propriamente dito se desenrolava, eu não conseguia entrar na cena: as coisas são contadas, em vez de mostradas.

Além disso, os personagens têm pouca caracterização: em nenhum momento mostram como é sua personalidade (mesmo no caso daquele que teve seu background apresentado: sabemos sua história, mas não o conhecemos de verdade, não sabemos como ele reagiu a essa história). Isso acabou me impedindo de me conectar com os personagens, o que diminuiu ainda mais a minha empolgação com a leitura. Ademais, a história caiu em um clichê que eu não gosto: a maioria das espécies apresentadas parece ser monocultural, e ainda bem parecidas em pensamento entre si.

★ ★ ☆ ☆ ☆

24 de fevereiro de 2017

5 coisas que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016 - Parte 2

Em 2016, participei mais uma vez do NaNoWriMo (conheça o projeto que desenvolvi em novembro, Divindade Artificial), e como sempre acontece, aprendi uma coisa ou outra sobre o meu processo de escrita e sobre produtividade. Outro dia, listei 5 coisas que aprendi com o NaNoWriMo em 2016, e hoje trago mais 5:

NaNoWriMo: 5 coisas que eu aprendi sobre escrita, disciplina e produtividade

1. Escrever mesmo sem inspiração, mas aproveitar os dias mais inspirados para superar a meta

Acho que todo mundo concorda que esperar a inspiração não é a melhor estratégia, certo? O que eu aprendi sobre mim em 10 anos de escrita (isso mesmo, em 2017 faz 10 anos que eu escrevo \o/) é que o processo demora para “esquentar”. Mesmo nos piores dias, em que as palavras relutam em aparecer na tela, a escrita começa a fluir se eu forço por mais ou menos meia hora. É aquela história: se não está inspirado, se inspire.

22 de fevereiro de 2017

Conto | A ruína no deserto

Título: A ruína no deserto
Data de publicação: 18/02/2017
Gênero: Fantasia
Tipo de história: Conto
Sinopse: Jilliane e Najama estavam aproveitando um raro dia de folga para viajar quando o carro sofre uma pane bem no meio do caminho. O problema não é a falta de gasolina: uma magia intermitente, que vem de uma ruína no deserto, parece interferir com o funcionamento do motor. Najama decide investigar a fonte dessa magia, e por isso arrasta Jilliane até a ruína. Lá, Jilliane descobre mais do que um simples objeto mágico esquecido no deserto.





Leia o conto

O conto está disponível para leitura no Sweek; clique aqui para ler A ruína no deserto.


Em breve também no Wattpad e no Widbook!

20 de fevereiro de 2017

Resenha | O Herói das Eras

Título: O Herói das Eras (Mistborn: Nascidos da Bruma #3)
Autor: Brandon Sanderson
Ano de publicação: 2016
Editora: Leya
Número de páginas: 688
Compre: Submarino | Saraiva | Amazon
Sinopse: Após subverter a lógica dos livros de fantasia tradicional e arrebatar uma quantidade incrível de admiradores, entre eles George R. R. Martin em pessoa, Brandon Sanderson encerra a trilogia fantástica Mistborn de forma no mínimo surpreendente. Para acabar com o Império Final e restaurar a liberdade, Vin matou Lord Ruler. Mas, em consequência, poderosos terremotos causaram o retorno das trevas, e a humanidade parece estar definitivamente condenada. Resta saber como Vin poderá se livrar da culpa e reverter este cenário. A conclusão da série promete não decepcionar os leitores dos dois primeiros volumes, já que está repleta de revelações e reviravoltas, dignas dos leitores mais exigentes.

Vin libertou Ruína do Poço da Ascensão, e desde então o mundo vai de mal a pior. As chuvas de cinzas estão cada vez mais intensas, as brumas persistem por cada vez mais tempo sob a luz do sol, prejudicando as plantações, e terremotos acontecem com cada vez mais frequência. Enquanto tentam reunir pistas de como derrotar Ruína, Vin, Elend e o que restou da gangue de Kelsier estão decididos a reconquistar as cidades que se separaram do Império Final, como Fadrex e Urteau.

17 de fevereiro de 2017

5 coisas que eu aprendi com o NaNoWriMo em 2016 - Parte 1

Minha ideia era trazer esse post bem antes, mas por motivos de falta de organização (e compromissos inesperados) acabei deixando para depois. Mas ainda está valendo, então decidi compartilhar meu aprendizado com o NaNoWriMo (muito embora Divindade Artificial esteja parado ultimamente, mas isso é assunto para outro post).


O NaNoWriMo é para muitos um desafio. É uma ótima forma de dar um gás naquele seu projeto, mas também é uma ótima chance de ganhar um pouco de autoconhecimento devido à dinâmica de metas diárias e registro do processo. Em todas as edições de que participei (participo desde 2014), mesmo naquelas em que não ganhei, aprendi uma coisa ou outra sobre o meu processo de escrita.

Confira também:

16 de fevereiro de 2017

O SI&F agora é parceiro da Editora Draco!

Ontem a Editora Draco abriu a seleção de blogs parceiros para 2017 (se você é blogueiro e quer se inscrever, pode fazer isso até dia 31 de março), e eu decidi me inscrever. Todos os blogs inscritos serão selecionados, independente de número de escritores, então por isso eu estou aqui, apresentando a parceria entre o SI&F e a Editora Draco.


Eu não vou ganhar livros por isso, mas terei descontos especiais por ser parceira, então eu espero que a parte financeira da minha vida contribua para que eu possa comprar aquilo que tenho vontade e poder divulgar e resenhar aqui no blog. Também poderei participar de ações pontuais e exclusivas, então coisas interessantes vêm aí.

13 de fevereiro de 2017

Resenha | O Desejo do Sol

Título: O Desejo do Sol – Parte 1 (A Lança Dourada #3)
Autor: Daniel Monteiro
Ano de publicação: 2016
Editora: Independente
Número de páginas: 274
Compre: Amazon
Sinopse: Quando um homem alado aparece no templo celeste do Cesaro, uma estranha profecia ameaça mudar para sempre a vida em Maciaan. Há décadas sem serem vistos, uma nova leva de caídos do céu surge, e Vasto, o filho de Áries, acredita ser o centro da mudança vaticinada. Sem recursos nem maneiras de ser levado a sério, ele parte em uma jornada para reunir os doze filhos do zodíaco e concretizar o seu destino.
Em meio a intrigas políticas e viagens conturbadas, o mito de um herói nasce, mas qual é seu verdadeiro papel? A prometida salvação é o que todos desejam? Neste épico de fantasia, nem tudo é o que parece, e um homem sozinho precisará convencer todos de que é possível derrotar uma ameaça invisível e silenciosa de poder ancestral, se todos se unirem sob uma vontade superiora: o desejo do sol.

O Desejo do Sol tem início quando Ivan (protagonista do livro anterior, A Pedra Celestial) chega ao Cesaro. Ele tem um objetivo: encontrar Afrodite e matá-la, restaurando, assim, o equilíbrio do mundo. No entanto, descobrir onde está Afrodite é algo que pode levar anos, por isso Ivan permanece no Cesaro com Adônis, o centauro, e Bato, Enzo e Janela, três Caídos do Céu — os Filhos do Zodíaco.

Anos se passam e mais Caídos do Céu vão surgindo enquanto os demais crescem e tomam seus caminhos, aos poucos descobrindo seus poderes. Até que Vasto, filho de Áries e um dos mais jovens, decide que precisa reunir todos os Filhos do Zodíaco depois de ter um sonho profético.

10 de fevereiro de 2017

Resenhando contos #10 | Lidos em 2016

Em 2016 li menos contos do que queria, infelizmente, apesar do meu projeto de ler um conto por dia. Ainda assim, li bastantes contos, e decidi postar as avaliações dos últimos que li no ano que passou; confira:

Título: Memento Mori – Lembre-se que és imortal
Autor: Y. M. Dias
Ano de publicação: 2016
Editora: Independente
Número de páginas: 18
Compre
Sinopse: No início do século XX, uma jovem da alta sociedade mexicana luta contra os desígnios de seu pai para viver ao lado de seu grande amor. Ela só não esperava despertar a obsessão de um ser ancestral que fará de tudo para possui-la.
"[...] uma figura encapuzada portando uma foice, ou uma bela dama de face cadavérica. Independentemente de sua interpretação, é de comum acordo que não há maneira de escapar quando ela resolve encontrá-lo."
Conheça a origem da emblemática La Catrina.

8 de fevereiro de 2017

E-book gratuito | Viagem na maionese

Título: Viagem na maionese
Data de publicação: 24/01/2017
Gênero: ficção especulativa
Tipo de história: microcontos
Sinopse: O e-book Viagem na maionese reúne microcontos de aventura e ficção especulativa, alguns já publicados em concursos literários, alguns já publicados no blog Sonhos, Imaginação & Fantasia e, ainda, alguns inéditos. Então faça sua viagem e aproveite e se divirta com essas pequenas histórias.







Leia o livro




Sobre


O e-book Viagem na maionese reúne microcontos de gêneros diversos dentro da aventura e da ficção especulativa.

6 de fevereiro de 2017

Resenha | Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Título: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Autores: J. K. Rowling, Jack Thorne e John Tiffany
Ano de publicação: 2016
Editora: Rocco
Número de páginas: 352
Compre Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Sinopse: Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.
Ansiosamente aguardado por milhões de fãs, o oitavo livro da saga de maior sucesso de todos os tempos chega às livrarias de todo o Brasil no dia 31 de outubro, em edições brochura e capa dura. Harry Potter e a criança amaldiçoada é a edição impressa do roteiro de ensaio da peça escrita por J.K. Rowling em parceria com Jack Thorne e John Tiffany, que está em cartaz em Londres e se passa 19 anos após os acontecimentos narrados em Harry Potter e as Relíquias da Morte.