12 de maio de 2017

Resenha | Contos do Dragão

Os Contos do Dragão, da editora Draco, fazem parte do maior acervo digital de contos disponíveis de forma avulsa. Alguns fazem parte de coletâneas, outros não. Mas, independentemente disso, são uma ótima forma de conhecer novos autores e, quem sabe, mergulhar em outras obras deles.


A parte boa é que eles são bem baratinhos (veja a lista completa aqui e se divirta), e, agora que a Amazon aceita débito, ninguém mais fica de fora. Mas, além de eles serem bem baratos, há alguns que são (e sempre serão) gratuitos. E são justamente alguns desses que foram resenhados no post de hoje.

Tem um minuto? Responda à pesquisa de público do SI&F!

Confira:

Título: O Presente (Espelho #1,5)
Autora: Karen Alvares
Ano de publicação: 2017
Editora: Draco
Número de páginas: 10
Sinopse: Conto de Karen Alvares da série Espelho, de Inverso e Reverso. É o aniversário de sua melhor amiga, e Daniel, pela primeira vez, não consegue escolher um presente. A sugestão de sua mãe (tempos desesperados requerem medidas desesperadas!) é diferente e meio embaraçosa, e agora ele precisa enfrentar o medo, um pai desconfiado e uma irmãzinha linguaruda antes de entregar o presente. Será que Megan vai gostar?

O Presente é um conto bem curtinho, spin-off da Duologia do Espelho (Inverso e Reverso). É contado sob o ponto de vista de Daniel, melhor amigo de Megan, e tem um enredo bem simples: Daniel precisa entregar o presente de aniversário de 15 anos de Megan, e não sabe muito bem como fazer isso.

Apesar da simplicidade, a narrativa é bem leve e divertida, e o conto me agradou bastante. Como o contexto dos personagens e da situação não foi explicado, só recomendo a leitura para quem já leu Inverso e Reverso (o conto, inclusive, se passa na mesma época que Reverso). Mas, para quem já conhece os personagens, é possível reconhecer os trejeitos de cada um mesmo na narrativa curta, e foi interessante ler algo do ponto de vista de Daniel.

★ ★ ★ ★ ★




Título: Despertar de um sonho (Metrópole #1,5)
Autor: Melissa de Sá
Ano de publicação: 2017
Editora: Draco
Número de páginas: 13
Sinopse: Conto de Melissa de Sá, autora da distopia Metrópole. Ilio é uma pessoa especial, podendo manipular a realidade com o poder da mente. Mas quando o mesmo sonho intenso lhe invade as noites, despertar para a dura realidade de um mundo morto só é possível pois nele pode estar uma revelação do futuro.

Despertar de um sonho é um spin-off de Despertar, primeiro volume da série Metrópole, de Melissa de Sá. É narrado sob o ponto de vista de Ilio, um personagem secundário de Despertar, que tem um dom que parece uma mistura de telepatia e vidência, que os cientistas de seu mundo não compreendem muito bem. Por causa desse dom, teve o mesmo sonho três vezes, com a mesma garota — alguém que ainda não conheceu.

Como o conto não explora a fundo o worldbuilding, não recomendo como introdução ao universo de Melissa de Sá. Mas para quem conhece o mundo e os personagens, o conto é interessante; tem um enredo simples, mas, ainda assim, instigante. A narrativa me envolveu, ainda que tenha tropeçado aqui e ali e tenha se alongado um pouco demais na introdução.

★ ★ ★ ★ ☆




Título: Música em suas tranças (Athelgard #0,5)
Autor: Ana Lúcia Merege
Ano de publicação: 2017
Editora: Draco
Número de páginas: 12
Sinopse: Conto de Ana Lúcia Merege para a série Athelgard. Em O Castelo das Águias, o que acontece entre Anna e Kieran parece ser amor à primeira vista. No entanto, fazia tempo que o mago ansiava pela chegada da mulher dos seus sonhos. Esta narrativa revela aos leitores o momento em que ele ouviu falar dela pela primeira vez.

Música em suas tranças é um spin-off da série Athelgard. Protagonizado por Kieran, um mago, sua trama gira em torno de uma carta recebida por um dos mestres do castelo e de uma visão de Kieran sobre Anna, a autora da carta.

Eu gostei da narrativa. Há um pouquinho de tell aqui e ali, mas, no geral, me prendeu à história. Quanto aos personagens, a autora fez um bom trabalho, considerando a extensão do conto. Kieran, que é o protagonista, teve um pouco de sua personalidade mostrada, ainda que de forma bem sutil (na verdade, meu tipo preferido de caracterização). Os demais tiveram apenas um trejeito ou outro pincelado, mas não vi problema nisso, já que é Kieran quem interessa no conto. Também gostei dos diálogos, eles soaram bem naturais ao longo da história.

A única coisa que me decepcionou um pouco foi a trama. Não que não seja instigante, mas cheguei ao final sentindo que tinha lido um prólogo para uma história maior, e não um conto.

★ ★ ★ ☆ ☆




Título: The Schroedinger Show
Autor: Carlos Orsi
Ano de publicação: 2013
Editora: Draco
Número de páginas: 7
Sinopse: Conto de ficção científica de Carlos Orsi, autor de As Dez Torres de Sangue. Quando a avançadíssima indústria cultural do futuro resolve explorar os paradoxos da mecânica quântica, toda a galáxia treme.

O conto é tão curto que não tem como falar muito da premissa sem estragar a surpresa; acredito que a sinopse já explica o suficiente.

Mas gostei bastante dessa premissa. O autor reuniu a mecânica quântica e a música (algo já inesperado) para trazer uma quebra de expectativa no final. Bem original.

A narrativa tem um formato que, em um conto mais longo, teria passado a impressão de ser rasa e apressada, mas aqui funcionou bem. O tom bem humorado se manteve por todo o conto, e os poucos detalhes que constroem o futuro imaginado pelo autor foram bem colocados.

★ ★ ★ ★ ★




Título: Saltimbanco
Autor: Marcelo A. Galvão
Ano de publicação: 2015
Editora: Draco
Número de páginas: 9
Sinopse: Novo conto de Marcelo A. Galvão, autor de Vida e morte do último astro pornô na Terra. Ao fazer um pedido especial aos deuses, um jovem artista descobre que até mesmo as divindades têm um senso de humor peculiar.

Saltimbanco narra a história de Gapu, aprendiz de Montani, que se intitula o melhor saltimbanco do reino. Entretanto, conviver com Montani não é tão bom quanto outras crianças parecem pensar, por isso Gapu deposita suas esperanças em um objeto que encontrou a caminho do próximo espetáculo.

Gostei da trama. Ela é simples e concisa, mas traz uma pequena reviravolta no final. A narrativa me enredou no começo (ainda que eu tenha notado um deslize aqui e ali na revisão), mostrando, de forma bem sutil, um pouco da relação entre mestre e aprendiz. No final, entretanto, ela ficou bastante apressada, mais contando que mostrando, o que acabou tirando um pouco da tensão; a reviravolta que eu mencionei poderia ter tido muito mais impacto.

★ ★ ★ ☆ ☆




Título: A Toca das Fadas
Autora: Clara Madrigano
Ano de publicação: 2014
Editora: Draco
Número de páginas: 9
Sinopse: Conto de terror de Clara Madrigano. Jack e seu irmão encontraram a toca das fadas. Ou é o que Jack acredita. Mas conforme sua obsessão cresce, as coisas deixam de ser divertidas, e as fadas talvez não sejam doces como o mel de que se alimentam.

A Toca das Fadas narra uma história que a princípio parece bastante comum: dois irmãos brincando perto de um riacho que fica atrás da casa onde vivem. Até que encontram um buraco na floresta, e Jack insiste que é uma toca de fadas (a história é narrada sob o ponto de vista do irmão dele, que não teve seu nome mencionado).

Apesar de a sinopse prometer uma história de terror, há muito mais tensão que terror. A narrativa (em terceira pessoa) em boa parte do conto conseguiu transmitir essa sensação. Também gostei da estrutura, com o protagonista por vezes se dirigindo diretamente ao irmão. Apesar disso, eu senti que o conto poderia ser um pouco mais longo, fazendo o leitor mergulhar um pouco mais em determinadas cenas. Algumas coisas também escaparam da revisão: algumas frases quebraram um pouco a fluência da história pela maneira como foram formuladas.

Fora isso, porém, eu gostei do enredo e do tom de mistério deixado ao redor das fadas: contribuiu para o clima de tensão que foi construído.

★ ★ ★ ✭ ☆




Título: Charlotte Sometimes
Autor: Fábio Fernantes
Ano de publicação: 2013
Editora: Draco
Número de páginas: 14
Sinopse: Conto do autor veterano de ficção científica Fábio Fernandes, originalmente publicado em Interface com o Vampiro. Um homem, uma noite, um bar. O que ele faz ali? Entre os vapores do gelo seco e as névoas da amnésia, Júlio busca uma resposta para tantas dúvidas que o assombram. Mas ele pode não gostar do que vai encontrar entre os escombros da sua memória – ou será a memória de outra pessoa?

Dentre todos os contos aqui resenhados, Charlotte Sometimes foi o meu favorito. Ele começa com uma frase longa (tão longa que eu cheguei a me perguntar se o conto seria inteiramente narrado em uma única frase), e logo se percebe que seu objetivo é mostrar o quanto Júlio está confuso, caminhando por uma boate enquanto procura por alguém, sem nem mais lembrar quem é que está procurando e se o que está acontecendo é real ou não.

A narrativa se utiliza de algumas técnicas interessantes, como uma ou outra frase longuíssima encaixada nos momentos certos, e foi eficiente em dar um tom onírico ao conto. Fiquei totalmente imersa na leitura, criando novas hipóteses conforme avançava. O final foi para um caminho inesperado e fica em aberto (ou ao menos foi isso o que me pareceu: posso ter deixado de pescar alguma pista ou outra). Acabei tomando uma de minhas teorias como a mais plausível (ainda que todas elas tenham o potencial de render uma resposta bem interessante).

★ ★ ★ ★ ★




E esses não são os únicos contos gratuitos da coleção! Você pode também baixar Arcano XV, de Ivan Mizanzuk (resenhado aqui), Ninguém, de Karen Alvares (leia a resenha aqui), e o audiobook Sobre Guerras e Deuses, spin-off da série Tempos de Sangue, de Eduardo Kasse.


Assine a newsletter!
Receba em seu e-mail, mensalmente, novidades para escritores, leitores e blogueiros, conteúdo exclusivo e os últimos posts do SI&F.

ou siga as atualizações do blog nas redes sociais:
Facebook | Twitter | Google + | Instagram | Pinterest

4 comentários :

  1. Obrigado pela resenha do meu conto. Deixei um registro dele no meu blog: https://galvanizado.wordpress.com/2015/10/26/mais-resenhas-para-saltimbanco/

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Que bom que gostou da resenha! E obrigada pela ajuda na divulgação.

      Abraço!

      Excluir
  2. Oi, Laís, obrigada pela leitura e pela resenha. Tem razão sobre o "Música", ele não foi pensado como um conto "solto" e sim como uma série de textos "slice of life" que publico no blog do Castelo. A ideia era mostrar mesmo a personalidade de Kieran e o background desse romance que alguns dizem apressado, fico feliz porque consegui e porque voc~e curtiu a escrita. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha! Mas não sabia que o conto seguia esse modelo, então iniciei a leitura esperando outra coisa. Espero poder conferir O Castelo das Águias em breve.

      Beijos!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...