21 de dezembro de 2016

Projetos e metas para 2017

2016 está (para o alívio de muitos) chegando ao fim — o que significa que é hora de propor metas e projetos a serem realizados em 2017 (a famosa lista de ano novo que quase ninguém cumpre), embora nada mágico vá acontecer entre 23h59min de 31 de dezembro e 0h01min de 1º de janeiro. Mas muitas pessoas do meu facebook estão, esse ano, fazendo listas um pouco diferentes: a lista de projetos (especialmente de escrita) que pretendem realizar no ano que está chegando.


Eu sou o tipo de pessoa que, quando vê esse tipo de lista, imediatamente lembra de fechar o Facebook e fazer qualquer coisa que não seja procrastinar, então fica aqui o meu agradecimento aos meus amigos e colegas escritores por esse empurrãozinho!

E, sem mais delongas, apresento a vocês minha lista de projetos e metas para 2017!

Projetos

 Finalizar o primeiro rascunho de Interligado


Quem acompanha o blog sabe que eu venci o NaNoWriMo esse ano (pela primeira vez desde 2014, quando comecei a tentar). E quem leu o último diário de escrita viu que eu pretendia fazer uma pausa para o replanejamento e retomar a escrita no dia 8 de dezembro — mas acontece que, no exato momento em que estou escrevendo isso, ainda não retomei a escrita. E, na verdade, só finalizei o novo planejamento nesta segunda-feira (sou do tipo que enrola e se distrai bastante enquanto planejo). E agora eu vejo que devia ter me dado um ou dois dias de descanso logo que as férias começaram, no dia 9 de dezembro — isso mesmo, os professores enrolaram até o dia 8 para finalizar o semestre, sendo que 2016 praticamente nem teve feriados.

Mas pretendo parar de enrolar e retomar a escrita (quem sabe hoje mesmo) e tentarei postar os primeiros capítulos no Wattpad para vocês. Se eu tivesse seguido o cronograma que propus para mim mesma em dezembro, teria aproximadamente 26 mil palavras escritas, mas vou tentar ao máximo nesses últimos dez dias recuperar a meta auto imposta e pretendo ter o primeiro rascunho terminado até fevereiro.

Ah, sim: e decidi, definitivamente, mudar o título de Interligado para Divindade Artificial (o primeiro título já tinha deixado de fazer sentido há algum tempo).

Participar de todas as edições do Camp NaNoWriMo e do NaNoWriMo desse ano


Isso mesmo: pretendo escrever nas edições de abril, julho e novembro. Assim que eu terminar o primeiro rascunho de Divindade Artificial em fevereiro, pretendo partir para o replanejamento de Prelúdio para o Novo Milênio (um projeto que eu comecei a escrever em 2015 e larguei, e que naquela época se chamava A Vingança é uma Arte). Porque, afinal, eu quero dar um respiro para Divindade Artificial antes de pensar em reescrita.

Espero terminar o primeiro rascunho de Prelúdio para o Novo Milênio entre abril e maio, para em junho mergulhar no planejamento de A Cidade do Futuro, que quero começar no Camp NaNo de julho e finalizar até o final de agosto.

Em novembro vou participar de novo do NaNoWriMo, mas ainda não tenho ideia do que vou escrever — ideias é que não faltam. Nos intervalos entre esses períodos de escrita frenética, pretendo me dedicar à reescrita de Divindade Artificial e, também, à escrita de contos.

Mandar um conto para a Trasgo


Como quem acompanha o blog e as resenhas que eu posto deve saber, eu gosto bastante da Trasgo, então é bastante óbvio que eu gostaria de me ver publicada nela. Há algum tempo, mandei um conto para a revista e fui recusada. Mas, como aprendi alguma coisa nesse meio tempo, decidi que está mais do que na hora de tentar mais uma vez. Tenho duas ideias para contos em mente e pretendo desenvolvê-las, quem sabe, ainda no começo do ano. Ainda não decidi qual das duas vou mandar.

Escrever uma noveleta ainda no começo do ano


Esta resolução foi inspirada pelo novo concurso de fantasia do Wattpad. É uma ideia que me surgiu de uma cena aleatória que decidi escrever há alguns meses (e há algum tempo eu vinha ruminando sobre transformá-la em um conto ou uma novela). Na verdade eu não sei se a ideia se encaixa exatamente no tema do concurso, que é fantasia heroica, já que a ambientação é em um universo pós-industrial, mas definitivamente a história tem heróis (ou o máximo que adolescentes de 15 anos podem se aproximar de serem heróis). Em breve vou falar mais sobre o projeto.

Mudar de curso na faculdade e investir em cursos de escrita


Para quem não sabe, eu curso biologia desde 2012. Estando em 2016, no quinto ano, era de se esperar que eu estivesse me formando — mas a verdade é que eu estou me arrastando para terminar o curso, entre trancar matérias que eu odiei e tentar vencer a burocracia que é se matricular nas disciplinas que eu preciso fazer. Nesse semestre eu mais faltei do que fui, para vocês terem uma noção, e na verdade eu comecei a me desiludir com a biologia lá pelo final do segundo ano de curso.

Há muito tempo que eu já tinha a noção de que, por ser também escritora, eu não poderia me dedicar à biologia com tanto esmero quanto meus colegas de curso, mas, de uns tempos para cá, eu comecei a me sentir dividida, tendo que deixar de entregar trabalhos (ou fazer a minha parte de qualquer jeito só para tirar nota) e estudando para provas meramente com o intuito de passar, em vez de realmente aprender o conteúdo — porque ao chegar em casa eu tinha que escrever e cuidar do blog (e fazer uma série de coisas que qualquer um que more com a família tem que fazer), e acabava não me sobrando tempo para estudar adequadamente.

Mas esse ano, pesquisando sobre cursos de escrita, eu acabei deparando com um curso de Editoração, que até então eu não sabia existir (se eu tivesse descoberto isso em 2011…). Olhei a grade e gostei bastante — me empolguei porque várias das disciplinas pareciam ser de grande ajuda para quem é escritor. Ou seja, é algo que pode ser um complemento à minha profissão, e não algo que vai me deixar dividida e me obrigar a dedicar o meu tempo com uma coisa que eu não quero de verdade.

E o melhor: o curso é matutino (meu curso na biologia é integral), o que vai me permitir ter um emprego de meio período e poder, finalmente, investir em muitas coisas que eu queria fazer há algum tempo — como os cursos de escrita. Claro que é uma coisa incerta, que talvez não venha a acontecer antes do segundo semestre, mas, ainda assim, é empolgante pensar nessa possibilidade.

Metas de leitura

Agora que terminei de falar dos meus projetos profissionais, vamos à diversão! Não vou propor um número de livros ou especificar cada título que vou ler no ano porque já sei que comigo não funciona: gosto de ler o que me der vontade na hora.

Mas me propus algumas metas. Entre elas, pegar firme no meu projeto — Um conto por dia — e divulgar todas as minhas leituras devidamente.

Outra meta é ler em 2017 todos os e-books e físicos que comprei entre o final de 2015 e todo o ano de 2016. Depois de 4 edições do Pacotão Literário e os vários livros físicos que comprei em promoções (tenho 9 livros físicos não lidos, fora os que provavelmente vou ganhar no Natal, espero), vocês devem imaginar que tenho bastante coisa para ler (isso porque o Pacotão com certeza será retomado ano que vem!). E também pretendo ler todas as edições da Trasgo que já foram publicadas (já são 12 e eu só li três O.O), quem sabe antes de uma nova vir ao ar.

Outras metas e resoluções

E agora cheguei às resoluções de ano novo propriamente ditas. Mas, em vez de colocar as famosas promessas que todo mundo faz sabendo que não serão cumpridas (como estudar mais, rs), vou listar coisas que são realmente importantes para mim (o que espero que me motive a cumpri-las), como:

Divulgar melhor o SI&F: vou confessar: eu sei que tenho feito um péssimo trabalho de divulgação até agora. A maioria dos posts eu divulgo apenas uma vez, assim que saem, e nunca mais falo neles. Mas criei um novo cronograma de divulgação nas redes sociais, e vou me empenhar em descobrir novos meios de divulgar o blog (aliás, agora o SI&F tem newsletter, para quem ainda não viu a novidade). Porque eu tenho alguns planos para o SI&F, mas queria que o blog tivesse um pouquinho mais de público antes de pensar em realizá-los. E convenhamos: certos livros merecem ser conhecidos por mais pessoas!

Divulgar melhor meus contos: já tenho algumas coisas publicadas na Amazon, entre contos e uma antologia, mas as divulgo tão bem quanto os posts do SI&F. Nem preciso dizer o quanto isso é ruim.

Não deixar acumular resenhas: nesse momento, tenho umas cinco resenhas acumuladas, mas cheguei a ter muito mais. Minha meta para 2017 é escrever a resenha de um livro assim que eu terminá-lo, ou, pelo menos, na mesma semana em que eu terminei. Porque eu compro livros mais rápido do que sou capaz de lê-los (isso porque nem sou rica), e leio mais rápido do que sou capaz de resenhá-los.

Escrever posts mais legais para o SI&F: em 2016 (principalmente por falta de tempo) acabei postando praticamente apenas resenhas no SI&F, e meu objetivo com o blog sempre foi trazer artigos legais sobre escrita e fantasia (se tiver alguma sugestão do que gostaria de ver aqui, fique à vontade!) Como são posts que dão mais trabalho para escrever, provavelmente não trarei mais que um ou dois deles por mês, porque sei que seria uma meta irreal escrever um por semana sendo que pretendo ter três rascunhos de livro até o fim do ano.

Ser mais organizada: já fui de fazer várias listas de tarefas para o dia e para a semana, mas sempre me impus metas irreais ou muito inflexíveis. Nesse ano, pretendo fazer algo diferente: uma meta mais flexível, que me permita momentos de procrastinação (para que a tentação de procrastinar não surja no tempo reservado à escrita) e imprevistos (mas só direi “sim” quando os compromissos forem do meu interesse ou eu não tiver outra escolha; esse ano pretendo distribuir mais “nãos” e “talvezes” a fim de evitar prejudicar meus projetos). Dessa forma, espero poder dar conta de tudo o que quero e preciso fazer e não dedicar mais tempo ou energia que o necessário para certas tarefas.

Encontrar um exercício que eu goste de fazer: sei que isso parece aquela meta de entrar na academia que acaba sendo largada na segunda semana do ano, mas na verdade eu fazia aulas de pilates há algum tempo (que eram dadas na academia do meu prédio mesmo, o que era ótimo para mim) e gostava bastante. Infelizmente, a única turma que ficava em um horário que eu podia frequentar fechou e eu acabei parando, mas na verdade eu gostava dos exercícios e da sensação de energia que ficava depois, o que era ótimo para a sessão de escrita que viria a seguir (ou seria se eu não tivesse de acordar cedo no dia seguinte e desperdiçar o momento). Mas eu estou parada há alguns meses e gostaria de voltar a me exercitar em 2017, e quem sabe encontrar algo que seja perto de casa (porque eu sei que vou acabar largando se tiver de gastar muito tempo no deslocamento).

Dormir mais: eu sei que é uma meta difícil de cumprir, especialmente no mundo em que vivemos, ainda completamente dominado por pessoas madrugadoras. Durante o período letivo eu tenho que acordar às 6 horas, porque o fretado passa 6h30 da manhã no ponto perto de onde eu moro, e esse é o horário mais tarde existente no período da manhã. Mas acordar às 6h da manhã é algo que sempre me prejudicou muito, tanto no meu compromisso diário com minha cama quanto na escrita (sendo que eu já me conformei que é impossível para mim dormir antes de 1h ou 2h da manhã se eu quiser ter um tempo de escrita decente). Então minha meta é conseguir dormir pelo menos umas 7h por noite durante toda semana, de preferência ficando na cama até mais tarde (como eu vou fazer para ir à faculdade depois de ter perdido o horário do fretado é algo em que ainda estou pensando).

Ler coisas mais legais (e mais produtivas) na internet: o Facebook, a rede social que eu mais frequento, muitas vezes é ótimo lugar para encontrar links interessantes, mas todo mundo sabe que ele esconde as atualizações das páginas que você curte e oferece muitas chances de te fazer procrastinar por horas. Então pretendo assinar mais newsletters (já assino um monte, mas tenho muitas atualizações acumuladas no e-mail para ler, algo em que preciso dar um jeito) e acompanhar os blogs que gosto diretamente, tentando dedicar menos tempo ao Facebook. Mas não vou deixar a rede social de vez, claro: tenho um blog para divulgar, conheço grupos legais de escrita e leitura e, de qualquer jeito, um pouco de procrastinação saudável não faz mal.

Voltar a desenhar: eu sempre gostei de desenhar, e sempre babei nas vitrines de papelarias cheias de canetas, lápis de cor e papéis coloridos. Mas faz muito tempo (mais de ano, acredito) que não pego num lápis para desenhar, e agora que meu hobby favorito (a escrita) virou uma profissão, estou precisando de um hobby novo para desestressar. Não vou propor nenhuma meta do tipo fazer 15 desenhos em 2017, mas um dos meus desejos quanto a essa meta é conseguir (se a parte financeira colaborar) uma caneta para iPad, a fim de começar a treinar desenho digital também.

E é melhor parar por aqui, porque estou fazendo metas para 2017 e não para a próxima década. Esta provavelmente é a última postagem do SI&F nesse ano, mas pretendo voltar ainda em janeiro — se tudo der certo, no dia 9 — com as resenhas que não escrevi esse ano, novos posts e as listas de melhores e piores livros, contos e novelas lidos em 2016. Até essa sexta pretendo mandar mais uma newsletter (que está atrasadíssima), então, se não assinou ainda, aproveite! Aqui você pode ler as que perdeu.

Então feliz Natal e um ótimo 2017 para você (e se esse novo ano também sair cheio de mortes e desgraças, pense no lado bom: teremos mais feriados que caem em dias de semana!).

2 comentários :

  1. Super me identifiquei com a parte de largar o Facebook e tentar centralizar as notícias pelas newsletters. Também perdi umas boas horas de produtividade com vídeos de gatinho e coalas, principalmente durante o NaNo.
    Bora ver se em 2017 a gente melhora desse vício, haha.
    Feliz Ano Novo! :D

    Fernanda - The Bookworm Scientist

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente! E o Face sempre esconde aquilo que a gente gosta, então a solução são as newsletters.

      Feliz ano novo!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...