18 de abril de 2016

Resenha | O Protegido

Título: O Protegido (Ciclo das Trevas #1)
Autor: Peter V. Brett
Ano de publicação: 2015
Editora: Darkside
Número de páginas: 514
Sinopse: Ao cair da noite, eles surgem por todos os lados, famintos por carne humana, demônios de areia, de vento e até de pedra, conhecidos como terraítas. Depois de séculos, a humanidade definhou e se tornou refém da escuridão. Arlen, Leesha e Rojer, jovens sobreviventes, atrevem-se a lutar e encarar as trevas. O jovem Arlen recebe os ensinamentos de um mensageiro e descobre que o medo, mais que os demônios, é o mal a ser combatido. Leesha tem a vida destruída por uma simples mentira e se torna ajudante de uma velha e misteriosa ervanária. E o destino de Rojer muda para sempre quando um menestrel chega à sua vila com uma rabeca. Juntos, eles podem oferecer ao mundo uma última, e fugaz, chance de sobrevivência.
O impressionante universo criado por Peter V. Brett — que, assim como muitos de nós, foi educado com uma rígida dieta de romances fantásticos, HQs e Dungeons & Dragons — cativa e emociona o leitor, nos tornando parceiros e reféns de seu mundo e personagens. Peter constrói uma bela metáfora sobre o medo e como precisamos confrontá-lo todos os dias.

O Protegido foi um livro que, logo no comecinho, não me cativou muito, devido à narrativa um pouco lenta. Mas depois de umas poucas páginas essa impressão se desfez, e eu me vi mergulhada em um mundo interessante, mas ao mesmo tempo sombrio. Um mundo onde, todas as noites, os demônios emergem das Profundas e assombram as pessoas, que se escondem atrás de suas precárias Proteções. Um mundo que conquistou avanços tecnológicos e científicos, mas que retrocedeu, e agora se encontra estagnado porque as pessoas, amedrontadas, têm de dedicar todo o seu empenho em sobreviver a mais uma noite.

O primeiro volume de Ciclo das Trevas é ambientado em um mundo muito bem construído, e as consequências dos ataques noturnos diários dos demônios está muito presente no dia-a-dia das pessoas. O clima de medo e desesperança está presente, mesmo que em segundo plano enquanto os personagens tentam seguir com seus afazeres e com seus sonhos. Mas não só isso foi bem retratado, como também os demais aspectos. Como algumas cidades, cada qual com suas particularidades culturais, e um pouco (mas muito pouco) da época anterior ao retorno dos demônios. (Sobre a qual eu fiquei muito curiosa, pois foram citadas a ciência e a tecnologia, e eu gosto muito de histórias de fantasia que misturam a magia e a tecnologia, mesmo que só de passagem, como foi feito aqui.)

O gato que enfeita a foto é uma caneta. Comprei na Imaginarium por R$14,90

A narrativa é em terceira pessoa e os capítulos se alternam entre os pontos de vista dos três principais personagens: Arlen, Leesha e Rojer. E é o tipo de narrativa que vem na medida certa: mostrando todos os detalhes (e, ao mesmo tempo, sem exagerar) necessários para que o leitor se sinta dentro da história e, em alguns trechos, até mesmo se esqueça de que está lendo.

Os personagens são outro ponto forte do livro: conhecemos Arlen, Leesha e Rojer quando eles são apenas crianças e acompanhamos não só seu crescimento como seu desenvolvimento como personagens, que foi muito bem feito. Pelo menos, até certo ponto. O autor muitas vezes faz saltos no tempo e nas primeiras partes do livro consegue administrar isso muito bem. Mais para o final, porém, acaba pulando grande parte do desenvolvimento de um dos personagens (justamente a parte que, eu imagino, seria a mais interessante). Mas, afora isso, gostei muito deles — mesmo os secundários são bem desenvolvidos, e todos me convenceram como pessoas que poderiam existir no universo proposto, com medos, inseguranças e sonhos.

Outro ponto que gostaria de destacar é o sistema de magia. A sensação, ao final do livro, é que aprendemos muito pouco dele (afinal, muito foi esquecido), mas ainda assim é muito visível que a arte de desenhar proteções é um sistema de magia muito bem construído, com toda uma lógica por trás. Ainda é cedo para afirmar, já que ainda temos muitos livros pela frente e muito para ser desvendado, mas acredito que esse sistema até mesmo poderia rivalizar com os de Brandon Sanderson*.

A trama une todos os arcos aos poucos e culmina em um final cheio de ação que, apesar de satisfatório, me deixou ansiosíssima para A Lança do Deserto. Foi um livro que me surpreendeu muito e que, mesmo com alguns pontos negativos (como o já citado detalhe no desenvolvimento de um dos personagens, um romance de que não gostei e a revisão que não é tão boa assim), acabou se tornando um dos meus favoritos.

Avaliação:

Trama: 4
Narrativa: 5
Personagens: 4
Caracterização: 5
Coerência: 4
Criatividade: 5
Revisão: 3


Neste feriado, nos dias 21 e 22, vai acontecer a 10ª Maratona Literária do blog Me Livrando. E adivinhem qual vai ser o tema? Sim, livros da editora Darkside! Por isso aproveitem a recomendação e leiam O Protegido. E, se já tiverem lido, façam como eu:


Se quiser participar da maratona, mas não sabe como, este post do Me Livrando tem todas as regras e instruções.

5 comentários :

  1. Ciclo das Trevas é uma das séries que mais gosto.. orgulho de ter o exemplar autografado pelo autor *----*

    E olha ela divulgando a maratona do MeL <3

    A propósito, a resenha ficou ótima =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Alexia! Fico feliz que a resenha tenha te agradado. E fiquei com inveja do seu exemplar autografado, haha!
      Abraços, e nos vemos na maratona!

      Excluir
  2. Um bom jeito de amenizar a falta de detalhes sobre aquele personagem que nós conhecemos é ler as novellas separadas que o Peter V. Brett lançou: Brayan's Gold e The Great Bazaar. Elas ajudam a entender um pouquinho mais do que aconteceu e tal. Mas não se preocupe que mais sobre isso é explicado no 2º livro. No mais, é uma boa série e pretendo acompanhar todos os livros restantes!

    http://desbravandolivros.blogspot.ie/2015/04/resenha-o-protegido-peter-v-brett.html
    http://desbravandolivros.blogspot.ie/2015/04/resenha-brayans-gold-peter-v-brett.html
    http://desbravandolivros.blogspot.ie/2015/04/resenha-great-bazaar-and-other-stories.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que tem mais coisas para ler, estou gostando muito dessa série (aliás, já comecei a leitura do 2º volume!)
      Obrigada pela recomendação e pela visita!

      Excluir
    2. Aliás, as duas novellas são bem curtinhas, ambas com menos de 100 páginas, então dá pra ler em 1 dia só. Sempre recomendo! haha

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...