4 de abril de 2016

Resenha | Kaelium: A Herdeira

Título: A Herdeira (Kaelium #1)
Autor: Tatiane Durães
Ano de publicação: 2015
Editora: Independente
Número de páginas: 263
Sinopse: Kaelium aparentemente é um mundo pacífico, mas por baixo da diplomacia existe uma sede de poder muito grande. Por esse motivo a herdeira do trono de Zefir foi sequestrada quando com meses de vida e enviada ao espaço para morrer, mas o destino decidiu diferente e sua pequena nave foi parar em um mundo novo, o planeta Terra.
Samantha, como passou a ser chamada, encontrou uma família, cresceu em um lar com amor e carinho, mas sem conhecer sua verdadeira origem.
Prestes a completar dezoito anos a cidadezinha onde vive com os pais é atacada por uma estranha nave. A vida de Samantha vira de ponta cabeça. Ela descobre que não é humana e não é filha dos seus pais.
Agora ela precisa fugir para sobreviver. Aprender a usar seus dons e descobrir quem realmente ela é.

Samantha acredita ser só mais uma adolescente normal, que se preocupa com amigos, romance e com seu futuro profissional. Entretanto, uma nave alienígena surge nos arredores da cidade onde vive, e a mulher de quimono que a comanda se mostra muito determinada em matar Samantha. Esta consegue escapar, com a ajuda do pai militar e o capitão Daniel, que a leva para se esconder na casa do avô dele. Entretanto, mais naves surgem, e preocupada com o pai, Samantha decide voltar para sua cidade e se coloca em perigo. É salva por Chiasa, outra alienígena, de uma emboscada de Naomi, então Samantha e Daniel são levados a Kaelium.

Samantha por isso descobre que é única filha e herdeira da rainha Chiyo, do reino Zefir. Este é um dos quatro reinos de Kaelium, cujos habitantes possuem a habilidade (chamada de okurimono) de manipular o ar, enquanto em Amanzi se manipula a água, em Zwe a terra e em Umlilo o fogo. No entanto, nem tudo é simples. Samantha tem dificuldades para se adaptar à cultura antiga e, em muitos aspectos, bastante restritiva de Zefir, além de a todo momento ser pressionada a escolher um zefiniano com quem se casar — ou Naomi, do reino inimigo de Amanzi, será escolhida para assumir o trono.

Com essa premissa, A Herdeira traz uma trama muito interessante, que foi o que me prendeu ao livro. O mistério se mantém ao longo dos capítulos, e o final traz reviravoltas inesperadas. Entretanto, algumas coisas me incomodaram.

Senti que a cultura dos reinos de Kaelium, assim como seus poderes, poderiam ter sido melhor explorados. Muitos detalhes interessantes são mencionados, no entanto, a história não se aprofunda neles. Também senti falta de ver um melhor desenvolvimento de toda a relação de Samantha com os zefinianos. Falou-se muito sobre o choque de culturas, mas o desconforto de Samantha diante de uma cultura diferente e seu desejo de voltar à Terra e ao que restou de sua família poderiam ter sido mostrados em mais detalhes, para transmitir esses sentimentos ao leitor.

Os relacionamentos entre os personagens também possuem muitas possibilidades de desenvolvimento que não foram aproveitadas. Eles são superficiais e muitas vezes surgem de uma hora para outra (como a amizade entre Samantha e Chiasa e o romance com Daniel), e sua convivência nem sempre é mostrada. Os próprios personagens também não têm caracterização forte. De todos os que apareceram ao longo de toda a história, os únicos que me despertaram algum sentimento foram Samantha (que provocou muitas mudanças na trama com sua teimosia e seus posicionamentos fortes) e Chiasa (cuja história é bem interessante de acompanhar devido à posição que ocupa na sociedade, mas mesmo isso não teve todo seu potencial explorado). Os outros personagens são muito unidimensionais, por isso a personalidade fechada de Chiyo, ou o ódio escancarado de Naomi, não despertaram meu interesse, pois elas praticamente se resumem a isso.

Porém, o que a meu ver realmente prejudicou o desenvolvimento, seja dos personagens ou do cenário, foi a narrativa. Ela é muito apressada, contando muito em vez de dar a cada cena a atenção necessária, mostrando os acontecimentos, sentimentos e ambiente. Além disso, muitos diálogos são narrados de forma indireta, sendo que muitos deles seriam importantes para o andamento da trama ou o desenvolvimento das relações entre os personagens.

Em resumo, A Herdeira é um livro que tem uma trama muitíssimo interessante, ambientada em um mundo diferente e cheio de peculiaridades, mas que não teve todo o seu potencial aproveitado.

Avaliação:

Trama: 4
Narrativa: 2
Personagens: 2
Caracterização: 2
Coerência: 4
Criatividade: 4
Revisão: 4



Outros livros de Tatiane Durães:


Um comentário :

  1. Oi Laís,

    Obrigada pela resenha e pelos pontos apresentados. bjs

    ResponderExcluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...