7 de janeiro de 2016

Retrospectiva 2015 | Os melhores (e piores) do ano

Como prometido no post anterior, hoje trago as minhas listas de melhores (e piores) livros e contos lidos em 2015; confira a lista e comente também quais foram seus livros favoritos e aqueles de que menos gostou.


(Se você quer saber como um livro se sente quando é escolhido como o pior do ano, clique aqui).

Vou dividir a lista em categorias: contos, livros e novelas, começando com os piores (ou pior) do ano.

O pior livro


Neste ano felizmente não li muitos livros que merecessem estar aqui, como foi em 2014. Mas teve um que mereceu, e este é Mago: Mestre. Não que eu não tenha gostado do livro: muitas partes foram bem interessantes. O problema é que essas partes se intercalaram com outros trechos que foram muito arrastados, ou então muito superficiais. E as cenas de ação não foram lá essas coisas.

Os melhores – categoria conto

Este ano li 26 contos (talvez mais, mas alguns dos que li não estavam cadastrados no Skoob, afora aqueles que estavam dentro de antologias). Dentre eles, destaquei os dez de que mais gostei.

10 - Princesa de Papel (Elysanna Louzada): mesmo sendo curto, o conto possui tensão e é impactante; a escrita foi excelente.

9 - O Estranho (Karen Alvares): este conto também foi impactante, do tipo que deixa as coisas jogadas para que o leitor tire suas conclusões. Gostei bastante.

8 - O Tecer da Escuridão (Melissa de Sá): o conto fala sobre deuses gregos no mundo moderno, mas esta é a única semelhança com as sagas de Rick Riordan. Com um tom mais dark, discute nas entrelinhas alguns temas atuais, além de trazer personagens cinzentos (mas um cinza que tende mais para o negro) e um bom final. Em breve falarei sobre ele em maiores detalhes.

7 - Rosas (Ana Lúcia Merege): este conto está na segunda edição da revista Trasgo. Gostei muito dele porque começa de maneira despretensiosa, depois surpreende (quando a resenha dessa edição sair, falarei em mais detalhes dele).

6 - Dentro do Armário (Bárbara Morais): foi o conto que me fez procurar pela Trilogia Anômalos, pois nele a escrita da autora é muito envolvente e o enredo, ótimo! Faz parte da antologia Um Dia das Bruxas Nem um Pouco Épico.

5 - A Torre e o Dragão (Melissa de Sá): este brinca com o clichê da princesa que precisa ser resgatada da torre de uma forma muito interessante e inesperada. Eu o li na revista Trasgo (primeira edição), mas o conto também está disponível de forma avulsa.

4 - Ventania (Hális Alves): esse foi o meu conto favorito da edição um da Trasgo. A trama foi muito envolvente, a narrativa excelente e o universo apresentado, muito bem construído.

  • Leia a resenha da primeira edição da revista Trasgo.

3 - Tobias (Francine Porfirio): o conto me surpreendeu muito. Fala sobre um tema que deve ser comum para muitas pessoas: a busca pela identidade. Em 6 mil caracteres, a autora conseguiu construir a relação entre dois personagens de forma magnífica (e que fugiu muito do óbvio).

  • Leia aqui as resenhas de Princesa de Papel, O Estranho e Tobias.

2 - A Árvore Reluzente (Patrick Rothfuss): como uma boa fã de A Crônica do Matador do Rei, eu não poderia deixar de gostar deste conto, que narra um dia da vida de Bast. Não é o tipo de conto que serve para revelar o passado do personagem, mas para dar um gostinho de sua personalidade e deixar o leitor com ainda mais perguntas.

1 - Um Ano e um Dia na Velha Theradane (Scott Lynch): como A Árvore Reluzente, também está na antologia O Príncipe de Westeros e Outras Histórias, e não só foi o meu favorito da antologia como também do ano. Como já se espera do autor, temos ótimos personagens, um mundo muito bem construído e golpes mirabolantes e extremamente inteligentes.

Os melhores – categoria novela

Em 2015 li apenas 6 novelas (A Música do Silêncio, Lobo de Rua, A Coroa de Ptolomeu, Estações de Caça, Tempestade e Brasil Cyberpunk 2115). Como são poucas, um top 5 não faz sentido (espero ler mais em 2016, mas não é muito comum termos novelas publicadas por aqui), mas destacarei as duas de que mais gostei: A Música do Silêncio e Lobo de Rua. As duas são completamente diferentes (enquanto a primeira é intimista, bela e delicada, a outra é envolvente, sangrenta e visceral), porém excelentes. Farei também uma menção honrosa a Estações de Caça, que apresentou o crescimento de um personagem de forma muito interessante e cuja escrita apresentou uma boa melhora em relação ao livro anterior do Lauro Kociuba, A Liga dos Artesãos.


Os melhores – categoria romance

E agora chegou a parte que você provavelmente mais espera: os romances lidos em 2015 de que mais gostei.

5 - Herdeira do Fogo



Sei que Herdeira do Fogo é um livro voltado para um público mais jovem e que, nos destaques de 2015, coloquei A Lâmina da Assassina como meu favorito na categoria que cabe a ele. Mas como A Lâmina da Assassina é uma antologia de contos (ou, melhor dizendo, novelas), ela não entra aqui, então escolhi Herdeira do Fogo, de que gostei quase tanto quanto. A resenha sairá não tão em breve (tenho muitas resenhas atrasadas para escrever e postar), mas já adianto que gostei muito do desenvolvimento dos personagens (especialmente dos que foram introduzidos nesse livro) e do worldbuilding.

4 - A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison



Esse livro me impressionou pelo formato como o autor decidiu contar a história, que foi muito criativo. O cenário é interessantíssimo, mostrando diversos personagens (originais e de domínio púlico) em um Brasil retrofuturista, com robôs, sociedades secretas e crimes hediondos. A trama foi por um caminho diferente daquele que eu esperava e o final me surpreendeu!

3 - O Protegido



Como já disse no post dos destaques, apostei em O Protegido mais pela aparência do livro do que pela sinopse (e também porque queria experimentar algo da Darkside). Logicamente que esperava gostar, mas não tanto quanto realmente gostei. O livro tem bons personagens, bom worldbuilding e um sistema de magia muito interessante. O final me deixou ansiosíssima por A Lança do Deserto.

2 - República de Ladrões



Sendo o terceiro volume de Nobres Vigaristas, dá início a uma nova aventura, ao mesmo tempo em que faz algumas revelações muito interessantes sobre o passado de Locke Lamora. Também conhecemos os Magos-Servidores, finalmente, e claro que vemos os golpes de Locke e Jean, que embora não tão geniais quanto os dos volumes anteriores, ainda trazem ótimos momentos. Leia a resenha.

1 - Mares de Sangue



Sim, escolhi dois livros do mesmo autor (ou três, se eu considerar que também elegi um conto dele como um dos melhores)… Mas não estaria sendo sincera comigo mesma se não admitisse que sou muito fã dos Nobres Vigaristas e que qualquer livro que eu ler dessa série (ou mesmo do autor) tem grandes chances de ficar no top 5 de melhores do ano.

Mares de Sangue na minha opinião não superou As Mentiras de Locke Lamora (talvez porque minhas expectativas já fossem altíssimas), mas de maneira nenhuma decepciona. Como sempre, também temos os golpes geniais, e a amizade de Locke e Jean foi explorada em mais detalhes neste livro, o que contou muitos pontos comigo. E vale lembrar que o autor não tem medo de colocar seus personagens em situações aparentemente irremediáveis (e também não traz para essas situações soluções milagrosas, também conhecidas como deus ex machina).

***

E foram esses os meus melhores. Em 2015 não tive tantas leituras que se tornaram favoritas quanto em 2014, mas também não desgostei de tantos livros. Em compensação, conheci muitos autores novos cujos demais livros certamente quero ler em 2016.

Em breve, revelarei para vocês minhas metas literárias para este ano.

Um comentário :

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...