3 de junho de 2015

Escrevendo Fantasia | Worldbuilding - Parte 3

Nos posts anteriores da série falei um pouco sobre a criação de novos universos e dei algumas dicas práticas de como fazê-lo. Aqui, falarei um pouco sobre a fantasia que se passa em nosso mundo — a fantasia urbana.

Acesse aqui os posts anteriores da série Como escrever um livro de fantasia.

Ambientar uma história de fantasia em nosso mundo pode, em um primeiro momento, parecer mais fácil, afinal, o "worldbuilding" já vem pronto, certo? Mas não é tão fácil assim; se ainda é mais fácil que inventar um mundo inteiro, com história, crenças, culturas e habitantes, eu não sei, isso muda de escritor para escritor.


Mas existem diversos pontos que você deve levar em consideração antes de dar início à sua história.

Se você quer começar uma história, provavelmente tem uma ideia de como ela vai ser. Saberá onde se passa, quem são os principais personagens, que criaturas e elementos fantásticos irá utilizar.

Comecemos então com a ambientação. Uma vantagem que os escritores de alta fantasia têm é que, apesar de terem todo o trabalho de criar um mundo, eles sabem tudo sobre ele — e, se não souberem, muitas vezes não é tão difícil assim descobrir. O escritor de fantasia urbana, por sua vez, está usando um cenário real, o qual não conhece inteiramente. E aí se faz necessária a pesquisa. Felizmente, temos ferramentas como o Google Maps para nos ajudar, ainda que muitas vezes precisemos de mais pesquisa.

Porém, se sua história se passar em um local que você não conhece e não tem como visitar (em outro país, talvez) ou em uma época que não a atual, suas pesquisas precisarão ser mais amplas. Você precisa saber qual é a cultura do lugar, como é a aparência dos principais locais por onde seus personagens passarão, como é o dia-a-dia das pessoas, de que maneira elas falam. No caso de outra época, terá de conhecer o contexto histórico e saber como ele afetará seus personagens e seu enredo.

Ainda assim, você poderá ter algumas liberdades. Pode, por exemplo, não especificar em qual bairro a cena se passa, para ter maior flexibilidade nas descrições. Fatos históricos podem ser alterados para dar sustentação à sua trama, desde que ao final do livro você apresente um apêndice, onde explicará o que foi alterado e o que realmente aconteceu. Porém, mesmo que você vá alterar, a pesquisa ainda é importante: seu leitor precisa se convencer de que, apesar de não trazer fatos históricos verdadeiros, sua história realmente se passa naquela época. A trilogia Filhos do Éden, de Eduardo Spohr, é um bom exemplo de fantasia bem ambientada em diversas épocas, ainda que nem sempre se comprometa aos fatos históricos.

Definida a ambientação, você poderá retornar aos seus elementos fantásticos. Livros de fantasia urbana geralmente mostram vampiros, lobisomens, bruxos e outras criaturas fantásticas vivendo escondidas, muitas vezes sem procurar usar seus poderes para se tornarem dominantes sobre os humanos, que em sua maioria não sabem da existência dessas criaturas ou poderes. Em alguns livros, porém, sinto falta de um motivo sólido para que isso aconteça. A magia não é forte o suficiente para sobrepujar a tecnologia humana? A magia não pode ser usada junto da tecnologia? A raça que você inventou teme sofrer discriminação? Seu vampiro simplesmente deseja se alimentar em paz? Independente do motivo, ele tem de existir.

Sua história, porém, não precisa seguir esse caminho. Você pode criar um mundo onde os seres fantásticos se tornaram dominantes sobre aqueles que não têm poderes. E, mesmo nesse cenário, isso precisa de explicações. Como isso aconteceu? Por que essas criaturas decidiram se impor? Como elas se relacionam com os humanos, e como a tecnologia e dia-a-dia desses foram afetados pela dominação?

Independente de como será sua história, você precisa definir como será a relação entre os seres que você criar e os humanos, e também precisará pensar em como eles se inserem em nosso mundo. Isso tornará seu enredo mais profundo e interessante e ainda abrirá oportunidades para explorar sua ideia de diversos aspectos, emprestando aos seus personagens novos questionamentos.

Leituras recomendadas:

No próximo post da série, falarei sobre um dos elementos mais importantes da fantasia: a magia! Aguardem.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...