23 de dezembro de 2014

[Resenha] Instituição para Jovens Prodígios: A Seleção

Título: Instituição para Jovens Prodígios #1 – A Seleção
Autor: L. L. Alves
Ano de publicação: 2013
Editora: Biblioteca 24 Horas
Número de páginas: 312
Sinopse: Do subúrbio carioca para uma Instituição de jovens superdotados na Inglaterra, Lara Müller, uma adolescente com todas as frustrações e inseguranças típicas da idade aprenderá que para realizar seu sonho é preciso fazer sacrifícios. Deixando tudo de mais precioso para trás, nossa protagonista precisa encarar uma nova realidade, muitas vezes assustadora... Quando Lara se deixa levar pela curiosidade e é atraída pelos novos ares de Sheffield coisas ligeiramente estranhas começam a acontecer... Por que ela sente como se alguns alunos a conhecessem? Por que parece que já fizera inimigos em tão pouco tempo? E, principalmente, quais os reais interesses dos mantenedores dessa poderosa instituição? Com uma nova melhor amiga ao seu lado, Lara começa a acreditar que está ficando maluca... É normal um pombo se comunicar com uma garota? 

Lara Muller é uma garota comum que mora no Rio de Janeiro e está para terminar o ensino médio. Tudo que deseja é estudar em uma boa faculdade e conseguir um bom emprego para sustentar a família. Entretanto, suas perspectivas mudam quando ela ouve falar da Instituição para Jovens Prodígios, uma espécie de escola localizada na Inglaterra e que apenas admite os mais inteligentes alunos do mundo todo.

Depois de passar na prova de admissão, Lara passa meses se preparando para partir para a Inglaterra e para a Instituição que mais se parece com um castelo. Chegando lá, matricula-se em suas aulas, conhece novos amigos. Porém, em meio a isso, coisas começam a acontecer: logo em sua primeira noite ela se depara com um pombo em sua janela, e este parece falar com ela.

A trama é bastante simples e no início chama a atenção do leitor, fazendo-o se perguntar o que a autora tem para nos oferecer em uma misteriosa instituição na Inglaterra. Porém, o livro já está quase na metade quando Lara chega à Instituição, e antes disso o leitor se depara com páginas e mais páginas explicando a preparação da protagonista para a grande viagem e sua despedida dos poucos amigos, da família e de um quase namorado. Apesar de o livro ser curto, esses trechos podiam ter sido condensados em menos páginas para que houvesse mais espaço para trabalhar a estadia de Lara na Instituição.

Depois que ela chega à Instituição, é contada sua rotina de aulas e como ela se adapta, fazendo amigos e inimigos, porém a história em diversos momentos parece não sair disso. As únicas coisas que inquietam a protagonista é o aparecimento do pombo que fala em sua mente e sua suspeita em relação ao verdadeiro objetivo da Instituição ao abrir as portas aos estudantes gratuitamente e obrigá-los a permanecer durante ao menos três anos. Todavia, essas questões parecem se perder em meio à descrição do novo cotidiano de Lara, sendo exploradas de modo superficial.

Outro ponto que me incomodou foi a ambientação. Há descrição e em nenhum momento o leitor se confunde sobre onde os personagens estão agindo, mas não são apresentados ao leitor sensações, como cheiros, gostos, tato, ou que tipos de sentimentos determinados locais ou pessoas passam aos personagens. Isso fez com que em nenhum momento eu me sentisse transportada para as páginas. Também senti um ar de inverossimilhança. Não sei o quanto a autora pesquisou sobre a Inglaterra para ambientar sua história, mas a ideia de uma escola moderna com formato de castelo não me pareceu muito convincente. Talvez um pouco mais de detalhamento na caracterização do ambiente teria tornado tudo mais palpável.

A história tinha poucos personagens, porém a trama fracamente trabalhada pareceu não abrir muitas oportunidades para que suas personalidades fossem mostradas. Por esse motivo, nenhum em especial pareceu se destacar, nem mesmo a protagonista. São simplesmente adolescentes preocupados com suas aulas, sem grandes sonhos, sem anseios.

O final chega com a grande revelação — a resolução do mistério que foi mencionado ao longo do livro — mas não há propriamente um clímax, o que deu ao livro um ar inacabado, mesmo para um livro que é o primeiro de uma série. Algumas coisas são deixadas no ar, para serem trabalhadas no segundo volume, mas ainda assim o livro deixou a impressão de ter sido mal planejado.


Outros livros de L. L. Alves:
  • Instituição para Jovens Prodígios #2 – A Traição
  • Instituição para Jovens Prodígios #3 – A Revelação
  • Mudanças
  • Meu Nome é Marcelo (Conto)
  • Desejo (Conto)

2 comentários :

  1. Achei a capa bonita, mas a premissa me lembrou HP. Sempre que alguém vai para alguma escola e tem magia envolvida eu penso em HP. Se for bem escrito, dá para ler de boa, mas com tantos problemas eu passo.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a premissa lembra mesmo Harry Potter, mas como mencionado na resenha, tem uma série de problemas que me levaram a não gostar do livro. Eu não recomendo mesmo.

      Abraços e obrigada pela visita!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...