7 de outubro de 2014

[Resenha] As Mentiras de Locke Lamora

Título: Nobres Vigaristas #1 – As Mentiras de Locke Lamora
Autor: Scott Lynch
Ano de publicação: 2014
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 464
Sinopse: O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula. Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas. O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.

Locke Lamora foi, quando criança, um ladrão muito esperto — e cuja esperteza levou o Aliciador, dono de uma gangue de jovens ladrões, a vendê-lo para Padre Correntes, pois Lamora agia com imprudência. Padre Correntes era o sacerdote da Casa de Perelandro, que em devoção a seu deus arrancou os próprios olhos e se prendeu com correntes ao templo, e desde então passa o dia pedindo esmolas. Porém, Locke descobre que Correntes não é cego e tampouco precisa ficar preso o dia todo. Ele é na verdade um dos Nobres Vigaristas, uma gangue de ladrões que tem como objetivo roubar dos ricos. E a partir deste dia Lamora será também um Nobre Vigarista, treinado de modo a ser capaz de assumir qualquer tipo de disfarce para aplicar golpes nos nobres de Camorr.

Os anos passaram, Lamora e os demais garotos se tornaram homens e estão prestes a aplicar mais um de seus engenhosos golpes, desta vez tendo como vítima o nobre Dom Salvara. Porém, em meio à execução de mais esse golpe, coisas estranhas começam a acontecer. Líderes de outras gangues de ladrões começam a ser assassinados, e fala-se em um misterioso Rei Cinza, que parece oferecer perigo tanto para os ladrões quanto para os nobres.

A trama se desenvolve em cima dessa premissa e foi muito bem trabalhada. A narrativa em terceira pessoa se alterna entre o que ocorre no presente e acontecimentos passados, estes explicando os personagens e os propósitos dos Nobres Vigaristas. Os golpes de Locke Lamora são muito bem planejados, e seus disfarces e atuações impecáveis. Há diversas reviravoltas, e o estilo de escrita do autor prende do início ao fim, detalhando as cenas de modo que pareçam mais reais e emocionantes e ao mesmo tempo sem torná-las lentas e arrastadas.

Os personagens, em especial os Nobres Vigaristas, foram muito bem trabalhados e são todos muito cativantes. No caso dos membros da gangue, o autor soube equilibrar muito bem seus momentos não muito honestos com os sentimentos de amizade que nutrem um pelo outro, fazendo com que parecessem bastante naturais. Cheguei até mesmo a gostar de alguns dos antagonistas, como Sophia e Lorenzo Salvara, pois mesmo que não fossem o foco da história suas personalidades foram bem trabalhadas e ficaram claras para o leitor.

No final o livro se torna mais frenético e ainda mais difícil de largar; o autor não teve receio de colocar seus personagens em situações horríveis e em nenhum momento estas situações foram resolvidas de maneira fácil demais ou inverossímil. Sua conclusão é satisfatória e deixou tudo muito bem explicado; apesar de fazer parte de uma série, a premissa se encerra dentro do próprio livro, de forma que não é necessário ler o restante da saga se não quiser (mas eu o desafio a não buscar os próximos volumes).

Este livro foi provavelmente a minha maior surpresa literária do ano; eu o comprei conhecendo-o somente pela sinopse e pelos comentários positivos que li na internet, e mesmo pressentindo que iria gostar, acabei me surpreendendo. Recomendo fortemente.


Outros livros de Scott Lynch:
  • Nobres Vigaristas #1: As Mentiras de Locke Lamora
  • Nobres Vigaristas #2: Mares de Sangue
  • Nobres Vigaristas #3: The Republico f Thieves
  • Nobres Vigaristas #4: The Thorn of Emberlain
  • Nobres Vigaristas #5: The Ministry of Necessity
  • Nobres Vigaristas #6: The Mage and the Master Spy
  • Nobres Vigaristas #7: Inherit the Night
  • Nobres Vigaristas: The Bastards and the Knives (livro extra com dois contos)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...