14 de agosto de 2013

Mitologia: outras religiões que criei

Há pouco tempo, falei a respeito da mitologia dos Seguidores da Natureza, abordada em um conto, A Perdição de Kenza. Em Myhorr, mundo criado por mim, esta mitologia é tida por muitos como uma religião, assim como diversas outras mitologias, que descreverei abaixo, sucintamente.



As Três Entidades Divinas


Segundo esta mitologia, existem alguns espíritos de hierarquia superior, sendo que a mais poderosa dentre estes é também uma deusa, de nome Aledya. Ela também é conhecida como a Rainha do Universo Espiritual. Certo dia, a deusa teve três filhas, que chamou de Malaya, Mekadya e Monadya. Conforme as nomeava, três grandes dimensões surgiram: o Universo da Magia, o Universo das Possibilidades e o Universo Simples.



Poucos anos após o nascimento de suas filhas, Aledya envolveu-se com um amante, e deste relacionamento resultou um filho ilegítimo, que ela chamou de Mikadyn. Ao nomeá-lo, porém, milhares dimensões menos complexas, os submundos, surgiram. Isso se deve ao fato de Mikadyn ter nascido de um relacionamento que não deveria existir.

Os Sete Símbolos Sagrados


Esta mitologia afirma a existência de sete deusas e deuses, sendo que cada um tem sua função e controla aquilo que representa: Portais Interdimensionais, Matemática, Física, Alquimia, Controle da Vida, Controle de Reações Químicas e Controle da Política. Cada um possui um símbolo a representá-lo, embora apenas os símbolos da alquimia e da vida possuam poder mágico (o que não tem relação alguma com a mitologia criada em cima deles).

Os Seguidores de Vultos Negros


Esta é uma das religiões mais sombrias praticadas em Myhorr. Essa religião prega a existência de sete espíritos poderosos, que apenas vêm ao mundo dos vivos em dias especiais marcados no Calendário Sagrado (que é um pouco diferente do calendário de Myhorr, por isso, os dias parecem aleatórios).

Quando vêm ao mundo vivo, exigem que os fiéis, liderados por sete sacerdotes, prestem-lhes uma cerimônia. Como cada espírito representa um líquido sagrado, cada um dos sete sacerdotes deve escolher um desses líquidos e bebê-lo em homenagem aos espíritos. Estes líquidos são sangue, água, álcool, óleo, veneno, suco de Makag (uma fruta encontrada em Myhorr) e leite. É inevitável que um dos sacerdotes morra nesta cerimônia.

Além disso, o nome desses deuses ou espíritos é desconhecido no mundo vivo, e, quando supostamente aparecem, estão sempre vestidos com mantos negros (daí o nome da religião), cujos capuzes escondem seus rostos.

Essas religiões são abordadas com menos frequência no mundo de A Batalha das Fraternidades, contudo, tenho arquivadas algumas ideias para contos em que estas religiões são citadas.

Leia também:

3 comentários :

  1. Olá tudo bom? te indiquei nessa tag super legal lá no meu blog, dá uma olhadinha ;)

    http://psicosedaleitura.blogspot.com.br/2013/08/tag-meu-marido-literario.html

    Bjão

    ResponderExcluir
  2. Oie, prazer primeira vez aqui e seguindo ^^
    Gosto de mitologia, legal teu texto, não sei se conhece, mas vou perguntar, já ouviu do Wattpad? No meu blog fala a respeito, mas enfim, como você escreve bem poderia encarar lá e postar teus texto


    Beliscões carinhosos da Máh-
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja bem vinda! Obrigada por seguir o blog! Mas já ouvi falar do Wattpad sim, também posto meus textos lá. Aliás, obrigada pelo elogio, fico muito feliz que tenha gostado dos meus textos!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...